segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Repositórios de vídeos

            O crescimento da produção e publicação de textos científicos e a introdução das TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação), aliados ao desenvolvimento da digitalização, trouxeram a necessidade de recuperação, acesso, compartilhamento e armazenamento de tais publicações, da informação. “Neste contexto, esta comunidade se vê frente à possibilidade de sanar sua necessidade mais básica (...) por meio de espaços específicos, públicos, qualificados e integrados.”. (FERREIRA, 2006, p. 77) Assim, criam-se os chamados repositórios digitais. Segundo Leite (2009), “Os repositórios podem pertencer a universidades, laboratórios ou institutos de pesquisa (repositórios institucionais), ou podem ser organizados por áreas do conhecimento (repositórios temáticos).”. O mesmo autor ainda se refere a repositórios de acesso aberto, que possibilitam acesso às informações e maior visibilidade pelos pesquisadores e instituições.

Eles (repositórios) podem ser temáticos - quando colocam o foco em uma determinada área do conhecimento; ou institucionais - quando se constituem em um conjunto de serviços oferecido por uma dada instituição aos membros de sua própria comunidade para a gerência e a disseminação dos materiais digitais criados por ela, ou seja, seu foco é a memória técnica de uma dada instituição que pode ser composta por trabalhos publicados e/ou originais e apresentados em distintos formatos, suportes e tecnologias. (FERREIRA, 2006, p. 79 apud LYNCH, 2003).

            Podemos encontrar também repositórios de vídeos, que são sistemas de capturas da informação multimídia. Estes possibilitam o acesso de vídeos para diferentes finalidades de diversos temas, sendo importante fonte de pesquisa. Grandes exemplos são: o Youtube, o Google vídeo e o Vimeo. Atualmente, com a utilização da EaD, repositórios de vídeos educacionais tornam-se cada vez mais utilizados.

Repositórios de vídeos educacionais

·         Zappiens:

Disponibilizado em fevereiro de 2010, é um projeto criado para a disseminação e agregação de conteúdo audiovisual científico, educacional, artístico e cultural em língua portuguesa. Conta com a participação de instituições que mantenham direitos sobre acervo multimídia. A iniciativa programa repositórios de vídeos para uso público, tanto para pesquisa como para o ensino em geral. O sistema permite a busca em repositórios digitais de documentos audiovisuais, pesquisando pelas instituições participantes, temas dos vídeos (organizados em ordem alfabética), vídeos mais vistos, vídeos mais recentes e ainda por palavras-chaves.




·         Ciência Viva TV:

É um repositório de vídeos do projeto Ciência Viva, que faz parte da Agência Nacional para a cultura científica e tecnológica. Lançado em Julho de 1996, a Ciência Viva tem como missão a promoção da cultura científica e tecnológica junto da população portuguesa. Constituiu-se como um programa aberto, promotor de alianças e estimulador de autonomia na ação de experiências, estudos e divulgação científicos. Os vídeos podem ser encontrados por um sistema de busca, vídeos mais recentes ou divididos em categorias: Reportagens CvTv (subdivididos em matérias); Ciência em Imagens (também subdivididos em matérias); Jornal CvTv e Top Video! (com os vídeos mais acessados).




·         Academic Earth:

Uma organização fundada com o objetivo de disponibilizar acesso a educação por todas as pessoas. Sediada em São Francisco, é uma comunidade online que trabalha na disseminação da tecnologia como auxílio na educação. Objetiva reunir, em um único local, as melhores informações, criando um ambiente de fácil manuseio e acesso. Seus vídeos são organizados pelas universidades participantes, por assuntos, instrutores, leituras e cursos mais acessados. Também apresenta notícias sobre o site e está na rede social Facebook.




            Com a utilização das TICs e disseminação do conhecimento em meios digitais, os repositórios de vídeos passam a ser fontes de informações confiáveis e eficazes. Deste modo, estes devem estar acessíveis a todos e o profissional da informação precisa conhecer seu funcionamento, para que os indique aos seus usuários como qualquer outra fonte.


Referências

FERREIRA, S. M. S. P. Repositório Institucional em Comunicação: o projeto Reposcom implementado junto à Federação de Bibliotecas Digitais em Ciências da Comunicação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação. Florianópolis, 2007, p.  77-94. Disponível em: <http://moodleinstitucional.ufrgs.br/file.php/14041/AULA_7_Repositorio_video/repositorio_institucional.pdf>. Acesso em: 17 out. 2011.


LEITE, F. C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília, DF: IBICT, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, out. 2009. Disponível em: <http://www.ibict.br/anexos_noticias/repositorios.institucionais.F.Leite_atualizado.pdf>. Acesso em: 17 out. 2011.


Bibliografia Consultada

RIBEIRO, P. da S. et al. Repositório de vídeos educacionais adaptado as necessidades tecnológicas de usuários de dispositivos móveis. [S.l: s.n.], [200-?]. Disponível em: < http://www.inf.pucminas.br/sbc2010/anais/pdf/wie/st05_04.pdf>. Acesso em: 17. out. 2011.

Um comentário:

  1. Esse Academic Earth é muito bom!
    Tem vídeos tri interessantes!

    ResponderExcluir